Sexta-Feira , 20 de Abril de 2018

Política

João Alberto avaliará denúncia contra senadores do PT

Inicialmente é preciso saber se o presidente da Comissão de Ética, João Alberto, irá acatar a denúncia

Em 09/02/2018 , às 19h17 -

 
Imagem: DivulgaçãoSenador João Alberto (Imagem:Divulgação)Senador João Alberto
 Mais uma vez o senador maranhense, João Alberto (PMDB), presidente da Comissão de Ética do Senado Federal, volta a ser foco das atenções da imprensa nacional.

No fim desta semana, o senador José Medeiros (PODEMOS-MT) protocolou duas denúncias no Conselho de Ética do Senado, ambas contra senadores do PT. Uma é contra Gleisi Hoffmann (PR), que é presidente nacional do PT, e a outra, contra o líder do PT no Senado, Lindbergh Farias (RJ).

As denúncias de José Medeiros são por suposta prática de incitação e apologia ao crime por parte dos petistas, após o julgamento e a condenação em segunda instância do ex-presidente Lula (PT).

No documento, Medeiros se refere aos pronunciamentos dos parlamentares sobre a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele categorizou as manifestações como “inaceitáveis” e um apoio à “desobediência civil”.

Gleisi afirmou em entrevista publicada pelo Poder 360 que “Para prender o Lula, vai ter que prender muita gente, mas, mais do que isso, vai ter que matar gente”. Já Lindberg, divulgou video em seu perfil no Facebook chamando os movimentos de esquerda para “lutas de rua”.

Em defesa aos senadores, o Partido dos Trabalhadores divulgou nota considerando a denúncia como “perseguição”. “É mais uma etapa da campanha de ódio e perseguição contra o Partido e suas lideranças.

Inicialmente é preciso saber se o presidente da Comissão de Ética, João Alberto, irá acatar a denúncia. Caso acate, obviamente terá que levar aos demais membros, mas o peemedebista pode simplesmente rejeitar e arquivar. De qualquer forma, o senador maranhense novamente ficará no centro das atenções da imprensa nacional.

É aguardar e conferir.

Enviar por email

Comentário: Os comentários serão incluídos na mensagem

Comente esta notícia