Segunda-Feira , 24 de Julho de 2017

Política

Em sentença, Moro diz que Lula recebeu propina de R$ 2,2 milhões

Em 12/07/2017 , às 15h30 -

Imagem: Divulgação    (Imagem:Divulgação )
 Na sentença em que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e meio de prisão por lavagem de dinheiro, o juiz Sergio Moro conclui que o petista recebeu da empreiteira OAS R$ 2,2 milhões em vantagens indevidas. O valor, disse o magistrado, é resultado de um “acerto de corrupção”.

Parte do valor se refere ao tríplex do Guarujá, que, de acordo com o veredicto, foi destinado ao ex-presidente como propina. “Do montante da propina acertada no acerto de corrupção, cerca de , consubstanciado na diferença entre o pago e o preço do apartamento triplex (R$ 1.147.770,00) e no custo das reformas (R$ 1.104.702,00), foram destinados como vantagem indevida ao ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva”, escreveu Moro na sentença.

Para o juiz, a OAS e Lula se acertaram de maneira a ocultar o nome do ex-presidente como verdadeiro proprietário do tríplex do Guarujá, o que configura o crime de lavagem de dinheiro. “A atribuição a ele (Lula) de um imóvel, sem o pagamento do preço correspondente e com fraudes documentais nos documentos de aquisição, configuram condutas de ocultação e dissimulação aptas a caracterizar crimes de lavagem de dinheiro. A manutenção do imóvel em nome da OAS Empreendimentos, entre 2009 até pelo menos o final de 2014, ocultando o proprietário de fato, também configura conduta de ocultação apta a caracterizar o crime de lavagem de dinheiro”

As reformas feitas no tríplex pela OAS a pedido da família de Lula também foram consideradas na sentença. “A agregação de valor ao apartamento, mediante a realização de reformas dispendiosas, mantendo-se o mesmo tempo oculta a titularidade de fato do imóvel e o beneficiário das reformas, configura igualmente conduta de ocultação apta a caracterizar o crime de lavagem de dinheiro”, diz a decisão. Fonte: Veja 

Enviar por email

Comentário: Os comentários serão incluídos na mensagem

Comente esta notícia