Ademar Sousa

Reviravolta no caso Fernanda:Promotor diz que há provas para denunciar uma ou duas pessoas

Em 05/03/2013 , às 11h21

Imagem: DivulgaçãoFernanda na boate Cenário com Nairinha e outras poucas horas antes de morrer(Imagem:Divulgação)Fernanda na boate Cenário com Nairinha e outras poucas horas antes de morrer 

O promotor Eliardo Cabral afirmou, no inicio da manhã desta segunda-feira, 4, que no bojo do inquérito sobre a morte da estudante Fernanda Lages Veras, existe provas indiciárias que permitirão ao Ministério Público, denunciar "um ou dois culpados" pelo que chamou claramente de "homicídio cruel e covarde". 

Imagem: Blog do Feitosa CostaEliardo insiste na tese de homicídio e diz que há como indiciar uma ou duas pessoas(Imagem:Blog do Feitosa Costa)Eliardo insiste na tese de homicídio e diz que há como indiciar uma ou duas pessoas 
Cabral rompeu um silêncio de mais de dois meses e garantiu que o caso da morte de Fernanda não está encerrado. Ele aguarda para dentro das próximas horas a chegada do colega Ubiraci Rocha, que se encontra em viagem de lua de mel, para, juntos, elaborarem um questionário que pretendem encaminhar à Polícia Civil, visando à obtenção de algumas respostas que consideram que a Polícia Federal não deu ao longo das investigações que realizou sob o comando do delegado José Edilson Freitas, que veio de São Paulo especialmente para comandar o trabalho.

Quem estava com Fernanda?

Eliardo Cabral lembrou que a Polícia Federal se convenceu através de provas científicas de que Fernanda estivera com Nairinha e mais um rapaz de cabelos tipo militar, na porta do prédio da Procuradoria Geral da República, cerca de 3 horas da manhã, portanto mais de duas horas antes de ser encontrada morta, mas não ficou claro o que ela foi fazer no local e nem a sua companhia masculina foi identificada. Ele disse que a identificação desse rapaz é altamente importante para o esclarecimento do que ele considera homicídio.

Perguntei ao promotor por que ele insistia por que ele insistia na tese de homicídio já que a Polícia concluiu que Fernanda morreu em consequência de suicídio ou, numa hipótese muito remota, de um acidente, ao que ele respondeu:

-Eu e mais três milhões de pessoas, que é a população do Piauí, acreditamos que ela foi assassinada.

O promotor também está interessado em novas investigações em torno dos álibis apresentados pelo comerciário Pablo Leão Vital, o namorado que estava rompido com Fernanda, mas, era procurado por ela, segundo investigações. No relatório da Polícia Federal consta que um vigilante da área em que o rapaz mora disse que não o viu quando ele chegou a casa na noite do dia 24 de agosto de 2011, véspera da morte, além de outras declarações que deu à Polícia que não foram confirmadas. 

(Com informações do Blog do Feitosa Costa) 


XXX(Imagem:XXX)
 

Enviar por email

Comentário: Os comentários serão incluídos na mensagem

Comente esta notícia